Rádio Juliano Luz

Empresas criativas do Brasil promovem intercâmbio com a Ibero-América


Empresas e empreendedores dos setores culturais e criativos do Brasil e de outros países estarão reunidos no megaevento de negócios batizado de Mercado das Indústrias Criativas do Brasil (MICBR), que acontece pela segunda vez no país, mas em formato virtual este ano. A abertura será no próximo dia 17.

O MICBR foi criado a partir de uma iniciativa conjunta da Secretaria Especial da Cultura, vinculada ao Ministério do Turismo, e da Organização dos Estados Ibero-americanos para Educação, Ciência e Cultura (OEI). O evento se estenderá até o dia 19 deste mês. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site.

Segundo informou à Agência Brasil o secretário Nacional da Economia Criativa e Diversidade Cultural, Aldo Valentim, o foco do MICBR 2021 é divulgar os empreendedores brasileiros, ou pessoas ligadas à economia criativa e promover o intercâmbio entre o Brasil com os demais países ibero-americanos. Por meio de edital, foram selecionados para participar das rodadas de negócios 115 empreendedores nacionais, que terão contato com programadores, curadores e compradores internacionais. “Essa é a parte do evento focada na internacionalização”, destacou o secretário.

Além disso, o MICBR oferecerá uma série de atividades de formação, como palestras, oficinas, minicursos, destinados ao público em geral e, principalmente, às pessoas ligadas ao setor cultural, com a temática de empreendedorismo, internacionalização, financiamento à cultura, e que contará com a presença de grandes especialistas. São cerca de 30 atividades.

A edição anterior, presencial, ocorreu em 2018, em São Paulo. “Agora, em função da pandemia da covid-19, a gente está fazendo uma edição virtual, em parceria com a OEI, que envolve 22 países da Ibero-América”, disse Valentim. O MICBR 2021 vai reunir também 30 palestrantes e envolver representantes de nove segmentos culturais: audiovisual e animação; design; moda; editorial; jogos eletrônicos; música; museus e patrimônio; artesanato e artes cênicas.

Aquecimento

O MICBR 2021 objetiva a divulgação e a promoção da cultura e das artes do Brasil no exterior, a geração de negócios, a criação de espaços para a troca de contatos profissionais (networking), oportunidades de apresentação de produtos e serviços (pitchings), além de atividades de capacitação para empreendedores, como palestras, seminários, oficinas e clínicas de mentoria. “As atividades são todas gratuitas”, informou Aldo Valentim.

Segundo o secretário, o evento marca o retorno do setor pós-pandemia. “Porque, agora, a gente precisa trabalhar no aquecimento desse mercado, para sair do período dos auxílios emergenciais, da Lei Aldir Blanc, entre outras ações que o governo federal fez, voltadas para o setor de eventos, de entretenimento e audiovisual, que foram dados no ano passado e este ano, e entrar realmente no pós-pandemia. Isto é, estimular a volta dos negócios, das trocas e da promoção comercial dessas atividades artísticas aqui no Brasil e no exterior”.

A cerimônia de abertura no dia 17, às 19h, terá palestras de Raphael Callou, diretor da Organização de Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura no Brasil, e de Aldo Valentim, secretário Nacional da Economia Criativa e Diversidade Cultural. Às 20h, haverá apresentação do Grupo Chorando Pitangas, a cargo da diretora de Desenvolvimento Digital da Companhia Real de Shakespeare (RCS, do nome em inglês), Sarah Ellis, com o tema O pós-pandemia e a recuperação da economia criativa na área das artes digitais e da música.

O MICBR se destina a empreendedores culturais; empresas do setor; artistas e criadores; pessoas interessadas na área da cultura; e fornecedores de materiais ou mão de obra.



Agencia EBC